Infraestrutura e Logística - DER

04/02/2013

Governo projeta duplicação das rodovias PR-323 e PR-317

Começa em março a elaboração dos projetos de duplicação das rodovias PR-323 e PR-317, que vão formar um corredor rodoviário entre a ponte de Guaíra, na região Oeste do Paraná, até a divisa com o estado de São Paulo. Serão mais de 300 quilômetros de estradas duplicadas ou trechos em terceira faixa, que beneficiarão 19 municípios, com destaque para Umuarama e Maringá.

“Com este corredor rodoviário, o Paraná melhora a ligação com São Paulo e oferece mais segurança aos motoristas. Com a duplicação das rodovias ficará mais rápido o escoamento dos produtos agrícolas e industrializados do Paraná para o maior centro comercial do Brasil”, afirma o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

A licitação para contratar as empresas que farão os estudos está na fase final. Serão investidos mais de R$ 20 milhões na elaboração dos projetos, que vão mostrar quais melhorias são necessárias ao longo das duas rodovias estaduais. Serão avaliados quais trechos deverão ser duplicados e quais terão terceira faixa, além dos locais em que serão construídos viadutos, pontes e passarelas.

A PR-323 possui 14 cruzamentos com outras rodovias. Já na PR-317existem oito cruzamentos. Se necessário, o projeto poderá indicar a construção de acessos especiais, como trincheiras e viadutos, para evitar pontos de congestionamentos.

Outra preocupação é com relação aos cruzamentos com as rodovias federais, cujos fluxos de veículos irão desembocar neste novo corredor rodoviário. Uma delas é a BR-376, que traz o movimento da região de Paranavaí, além de Mato Grosso do Sul e de São Paulo, pela ponte dos Caiapós, sobre o Rio Paraná. Outro cruzamento é com a BR-272, pela ponte de Guaíra, que traz veículos que vêm do Mato Grosso e do Paraguai. Há também o fluxo da BR-487 (Boiadeira), a qual o governo federal se propõe concluir.

O projeto tem prazo de conclusão de 12 meses e servirá para o governo estadual ter uma noção de custo desta duplicação, já estimada em cerca de R$ 700 milhões. O governo trabalha para obter recursos internacionais para estas obras ou criar uma parceria público privada que invista na duplicação, podendo tornar o trecho concessionado.

OBRAS – Enquanto elabora os projetos de duplicação, o Governo do Estado está executando obras de melhorias ao longo da PR-323, para reduzir pontos de congestionamentos e diminuir acidentes. Estão sendo investidos R$ 41,2 milhões na duplicação de quatro quilômetros entre Maringá e Paiçandu, na construção da trincheira no Trevo do Cedro e na construção de 50 quilômetros de acostamento entre Umuarama e Iporã.

Na região de Maringá, as equipes trabalham na construção das marginais, drenagem e terraplenagem. Alguns trechos já estão prontos para receber asfalto definitivo nas marginais. Outra ação é a construção das cabeceiras que vão receber os viadutos e trincheiras.

No trecho entre Iporã e Umuarama estão sendo implantados acostamentos na estrada. A falta de áreas de escape colocava em risco o tráfego dos veículos. Já foram pavimentados 10 dos 50 quilômetros previstos, dando mais segurança aos motoristas.

Na mesma rodovia, com o cruzamento da PR-486, estão sendo feitas as alças de acesso da nova trincheira do Trevo do Cedro, em Perobal. As equipes contratadas estão realizando terraplenagem e também o aterro das cabeceiras de trincheiras.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.